qualy
4 e 21
lyrics

[Verso 1: Spinardi]

Faces que vem do pa**ado visando o presente

Pra mim cogitado agora

Te falo repare no chute que empurra

Essa porra pra dentro do gol

Vejo quem chega de embalo, mas nunca me calo

Fazendo barulho na casa seu filho da puta

Não vem sapeando o segredo que vem do meu show

Amadores, vários setores

Novatos se juntem com amadores

Mas já do resto eu não posso falar

Mas só posso falar que eu to vivendo

Não preciso de internet pra mostrar que eu sou chapado

De mim mesmo, e sou folgado pra um grupinho de faladores

Farsas que brotam, otários que voltam

Relatos são fatos, de fato me escoltam

Parceiro, não é difícil perceber

Que as mesmas mãos que te seguram são as mesmas que te soltam (urgh)

Desculpa sem maldade, quem fala Spinardi

"Dama**a" na praça, "Dama**a" quem age, eu sei

Mas sem momento monange, mas sem ma**agem

Dama**a Clan, Zona Norte, pilacagem

E fala que pita, fala que fuma, fala que é zica, fala que punga

Dentro de goma, na mira da tela ele fala que é zica (Ahh Pode Para)

Não vem de pagação, não é incomum

Parceiro, 4: 20, não 4: 21!

[Refrão]

Novo desabafo em bom tom

Mostre o verde. Spvic mostra o marrom

A moda agora é criticar a moda

Pra falar que é de verdade

(Pau No Cú Do Cão Coragem Que Late!)

Novo desabafo em bom tom

Mostre o verde. Pedro Qualy mostra o marrom

A moda agora é criticar a moda

Pra falar que é de verdade

(Pau No Cú Do Cão Coragem Que Late!)

[Verso 2: Spvic]

Como pode ver as mães largaram mão das pestes

Tá nos vestes, com quem anda, pra onde vai

Tudo testes de quanto se pode manter filhos nesse trilhos de

Que não entendem seus pais

Pais que nunca entenderão seus filhos

O que querem? Quando aderem?

Faz, depois pensa

Ganha recompensa, pouca competência pra se expor

A quebra do sigilo, atrai atenção igual rifa

Quem fala mais, maior probabilidade de dar micha

Viu a fonte, aposte a ficha entendendo a alquimia

Tesla e o Monk

Não entendo a roupa do Wiz Khalifa

Forcei o ponto de vista

Só pra mostrar que ator não é artista

Exagero não é conquista

Essa rede é a parede, não te rende, não transcende

Desaprende antes que a pista cobre da sua hora extra

É a besta e o abestado, cada estado um equivocado aponta o dedo

E testa

A fé de quem organizou a fiesta

Descola a nova escola, que a velha escola vai pa**ar a bola

E agora é até eu ir embora

Empregado ou chefe, prazer breve de quem atreve-se

Serve-se, ja que o mestre ta em greve aqui

[Refrão]

[Verso 3: Qualy]

(Ahn)

Geração fuma e filma

Fuma e posta

Geração fumadora de bosta

Mas no camarim "Dama**a"

O "Beck" não disfarça

Não reclama comigo se ficar com a pressão baixa

Se tu tem a dispô vem da um gole dessa "Natasha"

Quero ver pulmão de aço dar um trago no meu "Rasha"

O seu perfil se encaixa no mesmo que faz a ronda, acha?

Ta no seguro? Então relaxa

Mas não enquadra!

Tão infantil, a onde já se viu

Sua mãe te espera dentro do "Renaut Clio"

Entra na banca só pra cagueta os mano

Vai fingir que pa**a um pano, mas de policia já basta o pai e o tio

Entrou no próprio covil

Mc é o caralho

Um grande homem atrás do smartphone

Vai ter que mudar de nome, se não for mudar de plano

Mas não posso me envolve, porque heroizinho da internet

Ainda tem 15 anos

Tão infantil, a onde já se viu

Sua mãe te espera dentro do "Renaut Clio"

Pra essa molecada que veio de pagação pra mim é comum

Parceiro, 4: 20 não